AUDIMA - Áudio-texto para inclusão de estudantes com limites visuais.

quinta-feira, 14 de outubro de 2021

Da Crise Ambiental ao Despertar da Consciência Ecológica: Diálogos entre a História Ambiental e a Educação Ambiental

 

Este trabalho objetiva analisar como se deu a emergência da Educação Ambiental e da História Ambiental, como resultado do processo de busca por novos paradigmas para superar a crise ecológica configurada a partir de 1970. Não obstante se tratem de distintas perspectivas políticas e/ou teórico-metodológicas do conhecimento, cujos olhares são lançados, respectivamente, dos campos de pesquisa educacional e historiográfico, seus princípios e fundamentos interconectam-se, entrecruzam-se e complementam-se no espaço de intersecção dos estudos interdisciplinares relacionados com o ambiente. Neste sentido, entende-se que a História Ambiental, em diálogo com a Educação Ambiental, poderá ser utilizada para sensibilizar e contribuir com a construção de uma nova consciência ecológica política. Artigo (2017).

Link de Acesso: Clique Aqui!

Jornalismo e Movimento Ambiental em Rio Grande (RS) [1978-81]

 

Consideradas o grande desafio do século XXI as questões ambientais e ecológicas evidenciam a necessidade de que diversos saberes sejam articulados na busca por soluções inovadoras diante da complexidade dos problemas que envolvem estas temáticas. Neste contexto, destacamos o papel fundamental que os meios de comunicação exercem no processo educativo, no debate e na problematização dos temas relacionados à questão ambiental e à promoção do desenvolvimento comunitário. A partir dos anos 1970, vários estudiosos começaram a demonstrar preocupações acerca do papel que a mídia exerce no processo de desenvolvimento humano dos países. Atualmente, esta temática tem merecido estudos que buscam descobrir estratégias comunicacionais que contribuam para educar e sensibilizar para a adoção de novos comportamentos e atitudes por parte das pessoas em relação à natureza, e para a melhoria das condições de vida da população. Livro organizado que contém as crônicas ecológicas do ambientalista Luiz Felipe Pinheiro. Livro (2016).

Link de acesso: Clique Aqui!

Uma Contribuição ao Estudo do Movimento Ecológico e sua Militância Escrita Através do Jornal Agora

 

O presente livro é uma reescrita da monografia de conclusão de curso do bacharelado em História pela Universidade Federal do Rio Grande. Reflexão histórica intitulada “Uma Contribuição ao Estudo do Movimento ecológico e sua militância escrita através do jornal Agora do Rio Grande/ RS nos anos de 1978-79”. A obra versa sobre análise de conteúdo de crônicas ecológicas escritas por ambientalistas vinculados a Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural núcleo do município do Rio Grande, Estado do Rio Grande do Sul, instituição encabeçada por José Lutzemberger na década de 1970-80. Luiz Felipe Pinheiro Guerra, Helton Bartholomeu da Silva, Adelino Marques Mendes e Eudo Peres, produziram nas páginas do Jornal Agora "Crônicas Ecológicas" que versavam sobre problemáticas de vulnerabilidade e riscos sociais e ambientais no território do município do Rio Grande (RS). A presente obra serve de referência para pensarmos uma História Ambiental do município do Rio Grande. Livro (2020).

Link de acesso: Clique Aqui!

História, Crítica e a Educação Ambiental sob o olhar das crônicas ecológicas

 

Esta reescrita dissertativa enfoca uma discussão sobre o processo histórico das relações entre sociedades humanas e naturezas, a crise ambiental, a emergência da conscientização ecológica, o surgimento do movimento ecológico nos anos de 1960 e a formação do campo crítico ambiental, tendo como foco a cidade do Rio Grande/RS. No mesmo contexto, ocorreu o surgimento de um jornalismo ambiental, com isso, as manifestações ambientalistas passaram a reverberar nos jornais, rádios e nas emissoras de televisão. Nos anos de 1970, a Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural constituiu-se como referência na luta ambiental nacional e também como espaço de práticas educativo-ambientais, influenciando a formação de opinião pública e o ativismo ecológico. No período já mencionado acima, em Rio Grande, surgiu uma coluna jornalística, no jornal Agora, denominada, “Crônica Ecológica”, escrita pelos ecologistas da AGAPAN que é objeto da presente escrita. Livro (2020).

Link de acesso: Clique aqui!