Translate

AUDIMA

quarta-feira, 12 de agosto de 2020

Biografia e publicações do Professor Historiador Bread Soares Estevam


Apresento-me relatando que sou: brasileiro, natural do município do Rio Grande, Estado do Rio Grande do Sul. Nasci em 16 de setembro de 1978 no contexto mundial de uma sociedade capitalista tendo como processos históricos a Guerra Fria e a Ditadura Civil-militar no Brasil. Fui estudante da escola pública nos ensinos fundamental e médio. E, em alguns momentos complementei meus estudos na rede privada de educação e na educação de jovens e adultos. Tenho formação acadêmica em História licenciatura e bacharelado e em Educação Ambiental especialização e mestrado. Fui e sou estudante da universidade pública complementando meus estudos em universidades e órgãos privados de educação presencial e à distância.


Membro de família das classes populares, sou neto de trabalhadores e trabalhadoras dos setores, portuário (avô paterno), pesqueiro (avó paterna), calçadista (avô materno) e religioso (avó materna). Filho de um trabalhador do setor público portuário e sindicalista com uma trabalhadora do lar e estudante da universidade pública. Pai de um casal de adolescentes e estudantes da escola pública. Irmão de dois trabalhadores do setor portuário. Tio de um menino estudante da escola pública.


Atuo profissionalmente como servidor público nos cargos de Professor de História na Secretaria Municipal de Educação e Cultura (SMEC) da Prefeitura Municipal de São José do Norte (RS) e de Educador Social na Secretaria de Município de Educação (SMEd) da Prefeitura Municipal do Rio Grande (RS). Nesta secretaria atuo como assessor pedagógico no Núcleo de Orientação e Supervisão e na coordenação operacional da Tecnologia Social Busca Ativa Escolar. E, também atuo como assessor pedagógico no Grupo de Trabalho de Educação Ambiental da SMEd. Na pesquisa, atuo nos Grupos de Trabalho da Associação Nacional de História, secções estadual e nacional de História Ambiental, e no Grupo de História, Memória e Patrimônio da Universidade Federal do Rio Grande.


Como pode ser observado, sou neto, filho e membro da classe trabalhadora e dos setores populares. E, também, filho, pai e estudante, todos frequentadores da escola e universidade pública. Minha identificação política é com a classe trabalhadora e os setores populares da sociedade. Dos movimentos de resistência afro-brasileiro tenho influências do Rap Nacional e da tradição espiritualista africanista.


Essas palavras foram tecidas para expor que, cultural e politicamente sou e estou nas fileiras das classes trabalhadoras e setores populares e tenho consciência e pertencimento ao meu lugar no mundo. Isto é, sou e estou do lado dos social, cultural e ambientalmente oprimidos na organização societária em vigor. Nesse sentido, me coloco dentro de uma linha de práxis de Educação Social Popular na Formação de Educadores (as) Ambientais, identificado e inserido no grupo de trabalho que procura edificar bases teóricas e práticas para a transformação societária visando a emancipação social e ambiental popular. Escritor de livros e artigos.


Produções escritas


História, Crítica e a Educação Ambiental sob o olhar das crônicas ecológicas


Esta reescrita dissertativa enfoca uma discussão sobre o processo histórico das relações entre sociedades humanas e naturezas, a crise ambiental, a emergência da conscientização ecológica, o surgimento do movimento ecológico nos anos de 1960 e a formação do campo crítico ambiental, tendo como foco a cidade do Rio Grande/RS. No mesmo contexto, ocorreu o surgimento de um jornalismo ambiental, com isso, as manifestações ambientalistas passaram a reverberar nos jornais, rádios e nas emissoras de televisão. Nos anos de 1970, a Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural constituiu-se como referência na luta ambiental nacional e também como espaço de práticas educativo-ambientais, influenciando a formação de opinião pública e o ativismo ecológico. No período já mencionado acima, em Rio Grande, surgiu uma coluna jornalística, no jornal Agora, denominada, “Crônica Ecológica”, escrita pelos ecologistas da AGAPAN que é objeto da presente escrita.


Link: https://clubedeautores.com.br/livro/historia-critica-e-a-educacao-ambiental


Uma Contribuição ao Estudo do Movimento Ecológico e sua Militância Escrita através do Jornal Agora


O presente livro é uma reescrita da monografia de conclusão de curso do bacharelado em História pela Universidade Federal do Rio Grande. Reflexão histórica intitulada “Uma Contribuição ao Estudo do Movimento ecológico e sua militância escrita através do jornal Agora do Rio Grande/ RS nos anos de 1978-79”. A obra versa sobre análise de conteúdo de crônicas ecológicas escritas por ambientalista vinculados a Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural núcleo do município do Rio Grande, Estado do Rio Grande do Sul, instituição encabeçada por José Lutzemberger na década de 1970-80. Luiz Felipe Pinheiro Guerra, Helton Bartholomeu da Silva, Adelino Marques Mendes e Eudo Peres, produziram nas páginas do Jornal Agora "Crônicas Ecológicas" que versavam sobre problemáticas de vulnerabilidade e riscos sociais e ambientais no território do município do Rio Grande (RS). A presente obra serve de referência para pensarmos uma História Ambiental do município do Rio Grande.


Link: https://clubedeautores.com.br/livro/uma-contribuicao-ao-estudo-do-movimento-ecologico


Jornalismo e Movimento Ambiental em Rio Grande (RS) [1978-81]


Consideradas o grande desafio do século XXI as questões ambientais e ecológicas evidenciam a necessidade de que diversos saberes sejam articulados na busca por soluções inovadoras diante da complexidade dos problemas que envolvem estas temáticas. Neste contexto, destacamos o papel fundamental que os meios de comunicação exercem no processo educativo, no debate e na problematização dos temas relacionados à questão ambiental e à promoção do desenvolvimento comunitário. A partir dos anos 1970, vários estudiosos começaram a demonstrar preocupações acerca do papel que a mídia exerce no processo de desenvolvimento humano dos países. Atualmente, esta temática tem merecido estudos que buscam descobrir estratégias comunicacionais que contribuam para educar e sensibilizar para a adoção de novos comportamentos e atitudes por parte das pessoas em relação à natureza, e para a melhoria das condições de vida da população.


Link: https://clubedeautores.com.br/livro/jornalismo-e-movimento-ambiental-em-rio-grande-rs