Licença Criative Commons

Licença Creative Commons
"Coluna Historiador Comunica-Ação" de Bread Soares Estevam está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.

segunda-feira, 15 de abril de 2019

ALGUMAS CONTRIBUIÇÕES DA VIDA E DA OBRA DE PAULO FREIRE PARA O MEU PROJETO DE PESQUISA DE DOUTORAMENTO







*Bread Soares Estevam






No texto número 17 "PROJETO SIM, SISTEMA NÃO" presente na obra "PAULO FREIRE: UMA BIOBIBLIOGRAFIA" o autor nos aponta alguns caminhos possíveis para a utilização do referencial teórico-metodológico da educação popular de Paulo Freire. Sugere que o modo de pensar dialético e dialógico de Freire que dá atenção "à realidade, que é dinâmica, imprevisível, marcada pela contradição. O significado mais profundo de sua obra é o fornecer pistas, linha de partida, para os caminhos a descobrir, na construção do futuro" (ANDREOLA IN: GADOTTI, 1996, p. 87).



De acordo com Andreola (In: GADOTTI, 1996, 87):

A pedagogia de Freire caracteriza-se como um projeto de libertação dos oprimidos. Este projeto é marcado por tomadas de posição filosóficas muito claras e por engajamentos bem definidos. O autor propõe uma metodologia de ação. A partir de cada experiência há um esforço sério de elaboração teórica, mas jamais a preocupação de construir um sistema.


Conforme Andreola, Paulo Freire construiu sua pedagogia posicionando-se social e politicamente a favor e na classe oprimida. O livro "Pedagogia do Oprimido" nos aponta isso. Freire nos leva por um viés de ver e observar a sociedade e a educação a partir da ótica do oprimido e para um projeto societário que efetivamente seja construído pela classe oprimida. Mas, para isso é necessário partir de análises científicas embasadas na realidade material das populações social e ambientalmente vulneráveis. A educação popular freireana nos aponta algumas orientações que podem auxiliar na identificação e no mapeamento dos riscos e das vulnerabilidades sociais e ambientais de crianças e adolescentes em situação de evasão escolar (grifo meu), pois são oriundas das classes social e ambientalmente oprimidas. Nesse sentido, e educação popular parte do mapeamento dos temas geradores e/ou problemáticas da realidade material e da vivência das classes oprimidas.



Outro apontamento importante é a relevância do papel do educador popular no auxílio da construção e o fomento de uma consciência política e comunitária nos oprimidos. A partir da conscientização dos riscos e das problemáticas das vulnerabilidades sociais e ambientais, a educação popular nos dá ferramentas para a articulação de uma rede intersetorial de educadores e um trabalho comunitário para compreender e agir sobre as realidades materiais de crianças e adolescentes de 4 a 17 anos que estão em situação de evasão escolar. Mas, para isso a educação popular nos aponta que é necessário um processo de formação continuada de educadores escolares e educadores comunitários engajados no mapeamento dos riscos e no entendimento das vulnerabilidades sociais e ambientas, para assim, propor uma série de ações coletivas intersetoriais e a proposição de políticas públicas que dê conta da erradicação da evasão escolar.



Dessa forma, superficialmente, enxergo as possibilidades que a educação popular freireana apresenta para a formação de uma rede intersetorial de educadores escolares e educadores comunitários para o garantir o direito à educação a crianças e adolescentes de 4 a 17 anos que estão exclusos ou evadidos da escola. A educação popular permite o entendimento do processo histórico-ambiental sob lógica dialética e dialógica optando pelo olhar do oprimido. A partir disso, é possibilitado entender quais são os riscos e as vulnerabilidades sociais e ambientais daquelas crianças e adolescentes. Compreendendo tal realidade material, a educação popular nos impulsiona a pensar soluções e resoluções práticas para a erradicação da problemática da exclusão e da evasão escolar. 



Portanto, a utilização da tecnologia social Busca Ativa Escolar é uma possibilidade reinvenção da obra e do pensamento freireano, e uma alternativa de relacionar a educação ambiental popular sob influências de Freire através do mapeamento dos riscos e das vulnerabilidades sociais e ambientais, assim construir projetos de ação e transformação social e ambiental individual, familiar, coletivo e comunitários, objetivos da proposta do projeto de pesquisa proposto por mim que se aproxima com a educação ambiental popular. Enfim, a pretensão é relacionar a educação ambiental popular à tecnologia social Busca Ativa Escolar no mapeamento dos riscos e das vulnerabilidades sociais e ambientais para garantir o direito à educação a crianças e a adolescentes de 4 a 17 anos.


______________________________
*Atuo profissionalmente como Servidor Público no cargo de Professor de História na SMEC da Prefeitura Municipal de São José do Norte (RS); e, Servidor Público no cargo de Educador Social na SMEd da Prefeitura Municipal do Rio Grande (RS). Formação acadêmica em História Bacharelado (FURG); História Licenciatura (UNOPAR); Especialização em Educação Ambiental (SENAC); Mestrado em Educação Ambiental (FURG); e, Doutorando em Educação Ambiental (PPGEA - FURG). Editor do Site Historiador Comunica-Ação; e, Escritor de projetos, livros e artigos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário